Como aliviar os excessos do Natal e Ano Novo?

Para amenizar os efeitos dos exageros gastronômicos do Natal, nada melhor que uma dieta "desintoxicante", ou detox. Além de engordar, os dias de comilança e excesso de bebida podem causar dor de cabeça e de estômago, desconforto abdominal, gases e cansaço.

Uma boa dica para desinchar, se livrar do mal-estar e já se preparar para a festa de ano-novo é abusar das frutas, hortaliças, da água e dos suchás, uma mistura de sucos e chás que pode ajudar no funcionamento dos rins e do fígado e, assim, aumentar a eliminação de toxinas.



DIETA DE DESINTOXICAÇÃO

As nutricionistas Rosana Raele e Patrícia Bertolucci dão dicas para se livrar das toxinas do Natal e se prepara para o Ano Novo.

Efeitos do exagero: excessos gastronômicos podem, além de engordar, causar dor de cabeça e de estômago, desconforto abdominal, inchaço, gases e cansaço. Isto porque alimentos a base de açúcar, farinha branca, carne vermelha e álcool, provocam a liberação de substâncias tóxicas pró-inflamatórias nas células, o que pode gerar desequilíbrios orgânicos em alguns orgãos.



O QUE É DETOX?


1. É uma dieta diurética, nutritiva e desintoxicante, indicada após um período prolongado de comilanças ou em situações em que o funcionamento do fígado esteja prejudicado
2. Deve-se beber muita água nesta fase (que dura de 3 a 4 semanas), pois hidratação é fundamental
para a desintoxicação
3. Nunca faça dietas radicais após as festas. É importante manter o consumo adequado de carboidratos,
proteínas, hortaliças, frutas e gorduras
4. Muitas vezes, também é indicada uma suplementação de fibras e probióticos, para que haja regulamento intestinal e maior eliminação de toxinas 

Segundo as nutricionistas Rosana Raele e Patrícia Bertolucci, o suchá é uma mescla ideal para quem não gosta de tomar chá puro, além de ser refrescante agora no verão. A versão com gengibre é um ótimo anti-inflamatório, antioxidante e ajuda na digestão. O verde, branco, de hortelã, erva-doce e capim-santo são outras boas opções. Mas não ultrapasse três ou quatro xícaras por dia.
O chá verde e o preto devem ser consumidos com ainda mais moderação, pois são ricos em cafeína e podem dar insônia, agitação e irritabilidade. Além disso, cuidado com os chás "laxativos", como o de sene, que podem irritar a mucosa intestinal e levar à desidratação por diarreia.
Os suchás têm efeito diurético, ou seja, ajudam na desintoxicação do organismo e diminuem a retenção de líquidos. Os rins são os encarregados dessa limpeza, filtrando substâncias que não servem mais e eliminando-as pela urina. Alguns chás também auxiliam na digestão e no trânsito intestinal.
Eles contribuem, ainda, para o trabalho do fígado, que faz a remoção de compostos estranhos (xenobióticos), transformando toxinas lipossolúveis em hidrossolúveis, para que possam ser descartadas pela urina, fezes, respiração e suor.
As especialistas destacaram que esse processo de desintoxicação leva de três a quatro semanas e que, para curar a “ressaca” alimentar, não se devem fazer dietas radicais. Após os dias de fartura, portanto, é importante manter o consumo adequado de carboidratos, proteínas, verduras, frutas e gorduras.
Mais dicas de alimentação
Prefira as frutas, verduras e hortaliças orgânicas, sem agrotóxicos, para não sobrecarregar o organismo ainda mais com toxinas.
Quanto às gorduras, evite as saturadas (carnes, embutidos e laticínios como creme de leite), as trans (algumas margarinas, massas folhadas, biscoitos, sorvetes e bolos industrializados, e alimentos prontos e congelados) e as frituras.
O azeite é a melhor opção, por ser rico nos ácidos graxos ômega 6 e 9. O óleo de coco também é uma boa alternativa, pois tem propriedades antioxidantes e benéficas para o intestino. Ambos os óleos são rapidamente absorvidos e metabolizados.
Além disso, fuja dos alimentos ricos em corantes, conservantes e adoçantes artificiais, dos enlatados, dos molhos prontos e dos produtos em embalagens plásticas, que podem conter substâncias tóxicas como bisfenol A e ftalatos.
Outra sugestão é optar pelos carboidratos integrais ou naturais. É o caso do arroz, dos cereais, da batata, mandioca, mandioquinha e do inhame.
Também evite carnes vermelhas, que contêm muita gordura saturada e substâncias tóxicas – responsáveis por acidificar o sangue e prejudicar o processo de desintoxicação. Por isso, esses alimentos levam mais tempo para ser digeridos.
Coma mais peixes, que concentram ômega 3, gordura poli-insaturada com propriedades antiinflamatórias. Em relação aos ovos, prefira os caipiras.
Outros exemplos detox
- Açafrão: Tem um composto chamado curcumina, capaz de ativar o efeito nas enzimas antioxidantes.
- Alecrim: Contém flavonoides e ácidos fenólicos, que concentram grande atividade antioxidante e ajudam na proteção do fígado.
- Alho: Antibiótico natural, protege de infecções por fungos, vírus e bactérias. Os componentes alicina e ajoeno têm ação anti-inflamatória, auxiliando em problemas digestivos e do colo.
- Couve: Além de possuir alta capacidade antioxidante, é ótima fonte de cálcio. Sua composição nutricional favorece a fixação do cálcio nos ossos e potencializa o efeito diurético da dieta.
- Flavonoides: Protegem o fígado contra radicais livres e são encontrados especialmente em maçã, frutas cítricas, cebola, mirtilo, trigo-sarraceno e folhas verdes escuras (como couve).
- Frutas vermelhas: São ricas em antioxidantes, como ácido elágico e antocianinas. Também são excelentes fontes de nutrientes, como cálcio, fósforo, potássio e vitaminas A e C.
- Gergelim: Rico em cálcio, tem ação antioxidante e anti-inflamatória.
- Semente de linhaça: Contém lítio, que atua no controle da ansiedade. Também é uma importante fonte de ômega 3, que tem ação anti-inflamatória.
- Vegetais crucíferos: couve-flor, couve-manteiga, couve-de-bruxelas, brócolis, repolho, mostarda, nabo, agrião, rabanete e rúcula.
Receita de cubinhos de couve congelados
Bata folhas de couve com água e congele numa bandeja de gelo.
Acrescente no seu dia a dia um ou dois cubos em um copo com suco de laranja, abacaxi, maçã, limão ou água de coco. Se quiser, também pode incluir um pedaço pequeno de gengibre e hortelã.
Outra opção é bater duas folhas de couve junto com o suco – aí não precisa dos cubinhos de gelo.
Como melhorar a ressaca
A famosa ressaca nada mais é do que uma leve intoxicação hepática, em que o fígado ficou fragilizado após trabalhar demais para metabolizar toda a quantidade de álcool ingerida.
Para sair desse estado, é preciso deixar o fígado descansar e hidratar o organismo, na tentativa de eliminar as toxinas mais rapidamente. Algumas dicas são:
- Tome muita água, água-de-coco e bebidas isotônicas para repor sais minerais
- Evite o jejum e faça refeições leves
- Ingira produtos integrais (massas, arroz, biscoitos e pães)
- Consuma frutas ou sucos naturais e legumes cozidos
- Aposte nas proteínas (queijo branco, fresco ou ricota) e produtos derivados da soja
- Evite leite de vaca, carnes vermelhas, frituras e gorduras (como manteiga e margarina)

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/12/dieta-desintoxicante-ajuda-amenizar-efeito-dos-exageros-de-natal.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os ÓLEOS ESSENCIAIS podem ser utilizados como REPELENTES!!!

CHÁ DE MORINGA

Ansiedade, Saúde e Óleos Essenciais