Os ÓLEOS ESSENCIAIS podem ser utilizados como REPELENTES!!!

Com o crescimento alarmante de casos de contaminação de dengue, zika e chikungunya e febre amarela – doenças transmitidas pelo mesmo mosquito (Aedes aegypti) – no país, muitas pessoas estão sempre pedindo sugestões de óleos essenciais com propriedades repelentes. Isso porque os repelentes industrializados, quando usados em excesso, podem causar intoxicação; assim, cresce a busca por opções mais naturais.



Existe alguns óleos essenciais mais indicados no combate a esse mosquito mas vale ressaltar que a prevenção é ainda o fator de maior eficácia. O Aedes aegypti está ficando cada vez mais resistente, capaz de sobreviver em água salobra, suja ou com cloro, por exemplo.
É importante também conhecer os hábitos do Aedes aegypti para saber quando ter maior atenção:
  • prefere ambientes quentes (acima de 25oC) e com chuvas regulares;
  • apenas as fêmeas picam, no amanhecer e fim de tarde;
  • sua picada não dói, ao contrário do pernilongo Culex (o famigerado que nos atormenta à noite, zunindo em nossos ouvidos);
  • possui hábitos rasteiros, ou seja, não ultrapassa 1,5 m de altura do solo;
  • gosta de se esconder em locais escuros, como cortinas, embaixo do sofá, armários e camas;
  • tem manchas brancas espalhadas pelo corpo.
O repelente natural mais famoso é o óleo essencial de Citronela . O forte odor dessa planta desorienta os mosquitos, que se afastam do local. Seguem algumas propriedades do óleo de Citronela abaixo:
  • antidepressivo, antisséptico, desodorizante, inseticida, estimulante e tônico geral.
  • Tem um grande efeito sobre a mente, através do seu aroma. Assim, consegue aliviar sensações de depressão.
  • Ameniza dores de cabeça, enxaqueca e nevralgia.
  • É um repelente de mosquitos natural.
  • Ajuda a livrar cães e gatos de pulgas.
  • Funciona como um tônico para todo o organismo, equilibrando o coração e o sistema nervoso.
  • É útil no estágio final de doenças, ajudando a restabelecer a tonicidade, o humor e o equilíbrio.
  • Afasta germes.
  • Refresca pés suados e cansados.
  • Alivia as incômodas dores reumáticas.
  • Suaviza a pele se combinado a outros óleos.




A Citronela pode ser utilizada  no difusor de ambiente – e deixá-lo o mais próximo possível do chão, já que o mosquito tem hábitos rasteiros e o fluxo das moléculas dos óleos essenciais é ascendente, ou seja, são muito leves e sua tendência é subir – ou diluir algumas gotas em um óleo vegetal e aplicar no corpo. Essa mistura deve ser reaplicada a cada 2 horas, já que o óleo essencial de Citronela é extremamente volátil.
O problema do óleo essencial de Citronela é que ele é fotossensibilizante, ou seja, pode causar manchas na pele durante a  pode ser utilizada  Esse também é o caso do óleo essencial de Capim Limão (ou Lemongrass), outro eficiente repelente de insetos. Você deve necessariamente usar protetor solar para evitar problemas.
Pode ser utilizado também o óleo essencial de Copaíba muito usado pelas tribos indígenas para afastar qualquer tipo de mosquito e insetos, em uma colher de sopa de óleo carreador o óleo vegetal de Andiroba também é conhecido por suas propriedades repelentes, obtendo assim um repelente corporal eficaz que pode ser usado durante o dia. O óleo essencial de Hortelã Pimenta também é uma opção segura para repelir os mosquitos sem se preocupar com possíveis manchas na pele. Todos eles também podem ser usados em difusores aéreos, com a vantagem de não serem tóxicos como a maioria dos inseticidas industrializados.
Outra dica bacana é fazer um spray de ambiente (80% de álcool de cereais, 15% de água filtrada e 5% de óleos essenciais) e borrifar em tecidos pela casa como lençóis, cortinas, sofás, toalhas de mesa, sempre de cima para baixo – como explica Fernando Amaral no vídeo acima. Borrifar as roupas também é válido, já que tecidos muito finos podem não proteger das picadas.
óleo essencial de Cravo deve ser usado com cautela por ser um óleo muito forte, usado na Odontologia como analgésico bucal. Ele é irritante da pele e das membranas mucosas, devendo ser usado em diluições menores que 1%. O ideal é utilizá-lo difundido no ambiente, combinando com óleos cítricos para balancear o forte aroma. Mesmo assim, não deve ser usado por longos períodos, já que pode afetar muito o nosso emocional.


O uso desses óleos essenciais em mulheres grávidas e em bebês e crianças menores de 2 anos é restrito. O mais seguro é aplicar no corpo os óleos essenciais diluídos de Tea Tree (ou Melaleuca) e de Lavanda (ambos bons repelentes) a partir do segundo trimestre de gestação e em crianças acima de 2 anos. Para bebês, vale investir em proteções físicas como mosquiteiros e pingar algumas gotinhas de óleo essencial de Lavanda em um lenço próximo ao berço (claro que fora de alcance) e borrifar as roupas da criança com água de Lavanda (120ml de água filtrada com 4 gotas de óleo essencial).
Os inseticidas “naturais” à base de citronela, andiroba, óleo de cravo, entre outros, não possuem comprovação de eficácia nem a aprovação pela ANVISA até o momento. Os produtos que se encontram atualmente regularizados na ANVISA com tais componentes possuem sempre outra substância como princípio ativo.
Caso opte pelas versões industrializadas (existem dois tipos com diferentes substâncias ativas: Icaridina ou DEET), vale lembrar que não é preciso passar no corpo todo como um hidratante por exemplo, apenas nas áreas expostas. As substâncias químicas utilizadas nesses produtos são realmente tóxicas e precisamos ter cuidado!
fonte: https://oleossaoessenciais.com/2015/12/14/oleos-essenciais-repelentes/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CHÁ DE MORINGA

Os 10 Benefícios da Cúrcuma (Açafrão da Terra) para a sua saúde